Sites Grátis no Comunidades.net
Crie seu próprio Site Grátis! Templates em HTML5 e Flash, Galerias em 2D e 3D, Widgets, Publicação do Site e muito mais!

NA CARONA DA MATEMÁTICA



Total de visitas: 294929
RELATORIO DE REGENCIA DE ESTAGIO II

 

 

 

 

Universidade do Estado da Bahia  -  UNEB

Licenciatura em Matemática  -  EAD

Disciplina Estagio Supervisionado  II

Professor Celso Luiz de Freitas Dantas

Pólo Euclides da Cunha  G  6

Elizângela Modesto da Silva

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

       

 

 

 

1

 

 

RELATÓRIO DE REGÊNCIA DE ESTÁGIO ENSINO FUNDAMENTAL II

 

 

 

 

ELIZANGELA MODESTO DA SILVA

 

 

 

 

 

 

 

03/2012

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

                                                                                                                                    

 

 

            2

 

 

 

SUMA RIO

 

 

 

Introdução                                                                                      4

Escola                                                                                            6

Discussão                                                                                      7

Metodologia                                                                                   8

Justificativa                                                                                  10  

Organização das atividades de regência de sala de aula           11

Regência                                                                                     17      

Considerações finais                                                                   21

Referências                                                                                 22

Anexos                                                                                        23

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 3

 

 

INTRODUÇÃO

 

“Todo mestre precisa entender que esse conjunto de regras, embora pareça muito burocrático e teórico para uns, ou mesmo inútil para outros, trata-se de uma tentativa clara para que os alunos aprendam e aprendam o que for necessário durante o período escolar” (GUTENBERG, 2008. P. 21)

Embasado na nova LDB Brasileira, a regência de estágio visa preparar o educador com os mais éticos padrões de qualidade da educação através da teoria e da prática.

O estágio supervisionado II, que é o da regência é uma lei de diretrizes e bases da Educação Nacional (no. 9304/96). Ele dá a oportunidade de aliar à teoria a prática e atende às exigências da Universidade do Estado da Bahia, que dá suporte aos docentes capacitando-os através da prática, da confiança e da experiência não apenas um conjunto de regras como disse Gutemberg.

Paulo Freire diz que saber ajuda no cumprimento da minha tarefa como professor. Muitos professores têm experiência em ensinar, ou seja, “bagagem”, mas devemos como professores entender que a formação é continuada. Devemos desenvolver a competência profissional, mesmo porque o professor pode ter vários anos em sala mas todos sabemos que no estágio há um  capricho, é diferente, há uma transformação, os alunos são testemunhas de que o estágio é um dos melhores momentos da aprendizagem mesmo o professor sendo tradicional ele consegue planejar e estagiar bem.

                                                                                                                                                                                                    ( ....) Na formação permanente dos professores, o momento fundamental é o da reflexão crítica sobre a pratica. É pensando criticamente a prática de hoje ou de ontem que se pode melhorar a próxima pratica.

Ele diz que é preciso mudar, que somos capazes de mudar, é só fazer a analise. O estágio aproxima a Escola da Universidade, digo, o estágio é o elo que os liga.

Devemos “ensinar para aprender”. Aprender é missão de cada um, pois a história do passado da humanidade diz que os grandes momentos de evolução foram os que as pessoas faziam descobertas.

A Educação e o aprendizado são elementos chave na construção de uma sociedade baseada na informação e no conhecimento, em 15 anos que leciono já tive centenas de alunos, tenho colegas de trabalho que foram meus alunos, moro numa cidade  pequena com poucos habitantes   e a minha regente era minha aluna e quando ela já era adulta numa época que ensinei física no 2º. Grau sei que ela me amava e nunca havia estudado física

                                                                                                                                                4

por não ter na cidade professores capacitados, quando eu comecei a estudar em São Paulo fiz dois semestres de física e aprendi algo que nunca tinha visto, tirava as melhores notas na Universidade e com isto estava apta a ensinar a matéria, eu falava numa linguagem clara e todos os alunos gostavam nunca tinham ouvido falar em física falava-lhes de quilometragem com bicicletas, à pé, o percurso que o ônibus escolar fazia, esclarecia os nomes posição, tempo, sempre seguindo o planejamento feito pelos professores em reuniões freqüentes que haviam na escola, e para realizar este estágio eu também fiz um plano de estágio solicitado pela coordenação do curso:

“A educação constitui-se um dos principais ativos e mecanismos de transformação de um povo e é papel da escola, de forma democrática e comprometida com a promoção do ser humano na sua integralidade, estimular a formação de valores, hábitos e comportamentos que respeitem as diferenças e as características próprias de grupos e minorias. Assim, a educação é essencial no processo de formação de qualquer sociedade e abre caminhos para a ampliação da cidadania de um povo.”

(BRASIL,2005, Diretrizes Curriculares Nacionais, p. 7)

             O presente Plano de Curso de Matemática do ensino fundamental está sendo elaborado com o intuito de organizar e executar as atividades que serão desenvolvidas durante a regência de estagio supervisionado II, servindo assim de parâmetro para por em prática as atividades pertinentes à área de Matemática, visando à melhoria e a qualidade do ensino desta disciplina.

             "O plano de curso é a sistematização da proposta geral de trabalho do professor naquela determinada disciplina ou área de estudo, numa dada realidade. pode ser anual ou semestral, dependendo da modalidade em que a disciplina é oferecida." (VASCOCELLOS, 1995, p.117 in Padilha, 2003 p. 41).

             É importante orientar os alunos a obter um bom desempenho nos estudos mostrando-lhes sua importância devemos também colocar o estudo como parte de sua rotina. Para isso o professor deve estar capacitado e com intenções de formar o aluno para que ele se torne atuante na sociedade.

             O objetivo é planejar, garantir aprendizagem significativa, organizar o plano de aula de modo que o aluno perceba a importância do que esta sendo ensinado seja para o seu dia-a-dia ou para seu futuro. Implementar e avaliar a utilização de Objetos de Aprendizagem no ensino de Matemática a nível fundamental. Sendo assim no momento em que o professor conhece seus alunos, tem de saber o que vai ensinar, para que e como vai ensinar.  O professor deve prever e organizar as ações para atingir mudanças, pois, saber aplicar os conteúdos e o conhecimento teórico ou científico não é suficiente, mas transformá-lo em saber, através da multiplicidade de formas. Para que isso aconteça, é

                                                                                                                                                 5

necessário empenho, estamos falando de cursos, projetos, troca de experiência com outros profissionais, leituras, reflexões, todos esses ítens podem auxiliar o professor no seu desejo de atingir mudanças. Essa mudança também acontecerá com o professor.

Nas palavras de Freire (1991), trata-se de nos formarmos como educadores, permanentemente, na prática e na reflexão sobre a prática.

 

                                                                       

 

ESCOLA

 

               A instituição de ensino Educandário Senhora Santana está situada na Av. Monte Santo, 109, em frente a  IGREJA EVANGÉLICA PENTECOSTAL O BRASIL PARA CRISTO E AO LADO DO POSTO DE GASOLINA GRUPO GOMES – Centro - Cansanção / BA. Sua estrutura física é considerável pois possui uma área de aproximadamente 5000 m2, 23 salas de aula bem arejadas, uma sala de TV e Vídeo, uma Biblioteca, 10 banheiros, 01 almoxarifado, 01 guarita, 01 sala para planejamento de aula, 01 quadra de esportes, 01 sala para secretaria , 01 sala para diretoria, 01 área livre espaçosa, 01 sala de professores, 01 cantina, 01 sala de leitura e tudo isto com prédio próprio. O seu funcionamento ocorre em 03 turnos, sendo que no período matutino são usadas 21 salas de aula, no vespertino 14 salas e noturno usando 04 salas. O corpo administrativo é representado pelo diretor Sr. Fernando Pereira de Jesus, auxiliados por 04 vice–diretores, 06 coordenadores, 01 secretário, 01 digitadores, 12 auxiliares de serviços gerais, 09 cozinheiros, 15 serventes e 65 professores, recursos tecnológicos e didáticos disponíveis, sendo TVs, DVDs, Vídeo Cassete, Retro-projetores, máquina fotográfica, filmadora, nootbook, computadores com impressoras com sala exclusiva com acesso a internet, livros didáticos, biblioteca com livros considerável, quadro branco, piloto, apagadores, etc...

            O planejamento é feito em reuniões com os professores, coordenadores e diretoria e as avaliações são elaboradas e aplicadas na forma: Diagnóstica, processual e contínua através de diversos instrumentos, Testes, provas atividades em grupo mimeografadas, produção de cartazes, exposição de painéis, exposição oral, produção e apresentação de gráficos, trabalhos em equipe...

 Os objetivos a seguir, são de suma importância para o processo de ensino/aprendizagem:

             Mostrar a importância dos conhecimentos matemáticos desenvolvidos pelos povos antigos.

            Levar o discente a adotar uma perspectiva positiva em relação à Matemática, isto é,

                                                                                                                                                 6

mostrar a importância da Matemática em nossas vidas, levando-o a construir os seus próprios conceitos e procedimentos, formulando e resolvendo problemas por si mesmo e, com isso aumentar a sua auto-estima e persistência diante da busca de soluções de problemas;

            Incentivar o educando a pesquisar em jornais, revistas, livros, internet, etc., e comparar os dados;

            Desenvolver atividades que possibilite o discente a interagir cooperativamente, em dupla e/ou em equipe, proporcionando-lhe a oportunidade de ouvir e apresentar sugestões, auxiliando e aprendendo com eles.

            Incentivar o educando pensar logicamente, relacionando idéias, descobrindo regularidade e padrões, onde a curiosidade é estimulada, despertando assim a investigação como mola propulsora do processo de ensino-aprendizagem;

            Respeitar os conhecimentos prévios dos discentes, valorizando-os e acrescentando-lhes informações adicionais que possam contribuir para sua formação básica.

 

 

DISCUSSÃO

 

           “O planejar é uma realidade que acompanhou a trajetória histórica da humanidade. O homem sempre sonhou, pensou e imaginou algo na sua vida.” (Mengolla,San’tAnna, 2001, p.15).

Quando planejamos, começamos a formular os objetivos e o que desejamos.

O planejamento deve ser uma organização das idéias e informações ninguém sai de casa sem saber para onde vai ou o que vai fazer todos nós temos metas mensais, semanais e temos também metas diárias os alunos são dignos de também ser tratados da mesma forma com metas a serem alcançadas. A suma é: deve-se planejar.

Pensando assim, procuramos desenvolver o nosso planejamento  numa perspectiva que visa proporcionar ao educando a possibilidade de sua participação nas atividades escolares, onde ele seja capaz de investigar, questionar, analisar, verifica resultados e argumentar logicamente, dando-lhe a oportunidade da contextualização dos conteúdos de Matemática de acordo com as suas experiências cotidianas e ao mesmo tempo, a outras distantes de sua realidade. Além disso, procuramos valorizar o trabalho em grupo, enfatizando os valores éticos, como o respeito ao próximo e ao meio ambiente, etc.

            Gandin (2008, p.01) sugere que se pense no planejamento como uma ferramenta

                                                                                                                                              7

para dar eficiência à ação humana, ou seja, deve ser utilizado para a organização na tomada de decisões e para melhor entender isto se precisa compreender alguns conceitos, tais como: planejar, planejamento e planos que segundo Menegolla & Sant’Anna (2001, p.38) “são palavras sofisticadamente pedagógicas e que “rolam” de boca em boca, no dia-a-dia da vida escolar.”

 

METODOLOGIA

                                                                                                                                         

            Os conteúdos aqui selecionados serão desenvolvidos através de aulas expositivas, investigativa e exploratória, sendo utilizados entre outros recursos, os livros didáticos, piloto, quadro branco, retroprojetor, tv, vídeo, cartazes, pesquisas em jornais  como as coordenadas cartesianas que eles buscarão, revistas que tratem de inteiros, atividades desenvolvidas dentro e fora da sala de aula, aplicarei as minhas aulas o máximo de atividades em que, sei eles desenvolverão. Os desejos do professor de tornar a aula atrativa e divertida hoje é possível, pois há  uma variedade enorme de jogos e hoje ao preparar este plano já estou em sala e já apliquei alguns, (aos quais conhecerão no relatório de estágio) mas separarei ainda nos últimos dias de estágio um conteúdo para que eles apresentem num seminário e  uma oficina que já preparei, enviarei o relatório deles como pedido da oficina e do seminário, trabalharei a vida e morte de Jesus Cristo através de parábolas e através de músicas, atividade proposta pela coordenação da escola.  Além disso, os discentes serão motivados a participarem de atividades culturais, fortalecendo os valores sociais, econômicos e políticos de nossa sociedade. Como por exemplo: replantio de árvores, participação dos festejos junino, aniversário da cidade, sete de setembro e outros eventos realizados na escola e/ou região.

        Sabemos que a avaliação é uma das etapas mais complexa do processo ensino-aprendizagem. Pois neste processo, o docente utiliza várias formas de avaliação, buscando aferir notas, comparar rendimentos dos alunos, analisar se os conteúdos aplicados foram bem assimilados ou não pelos discentes. Deve-se também, verificar se há a necessidade ou não de revisão de conteúdos, enfim, é uma tarefa muito importante, porque é ela que reflete a nossa prática educativa. Segundo Chamorro et al (2007, p.11) o processo avaliativo deve:

[...] ter sempre a preocupação com a aprendizagem dos alunos. Uma avaliação com essa finalidade tem sido referida por diverso autores como uma avaliação formativa que, nas palavras de Perrenoud (1999), é uma avaliação “que ajuda o aluno a aprender e o professor a ensinar”(p.173). Descreve a idéia-base desta avaliação, em que um indivíduo aprenderá

melhor “se o seu meio envolvente for capaz de lhe dar respostas e regulações sob diversas

                                                                                                                                                 8

formas: identificação dos erros, sugestões e contra-sugestões, explicações complementares, revisão das noções de base, trabalho sobre o sentido da tarefa ou autoconfiança” (PIRRENOUD, 1999,P.173)

Pensando assim, pretendo desenvolver a avaliação em quatro processos, os quais a instituição considera como básicos, são eles: avaliação diagnóstica, processual/continua, cumulativa e participativa/emancipatória.

                 Na avaliação diagnóstica, busca-se uma sondagem sobre os conhecimentos prévios dos discentes e os que eles já compreendem a respeito dos assuntos que serão abordados e, o que podemos trabalhar para melhorar e ampliar seus conhecimentos. Já na avaliação processual/continua, será realizada no dia-a-dia em sala de aula, onde estaremos observando passo a passo a construção do conhecimento dos nossos alunos e suas dificuldades, permitindo a correção de alguns erros e ao mesmo tempo, valorizando os próprios erros como parte do processo ensino-aprendizagem. E quanto a avaliação cumulativa, ela será promovida com o objetivo de somar as habilidades e competências adquiridas no cotidiano, acumulando-as ao longo do processo. Na avaliação participativa/emancipatória serão destacados acertos e erros da prática educativa, onde os alunos e o professor estarão juntos interferindo na construção e no desenvolvimento do conhecimento.

É importante ressaltar, que após discussão com os docentes desta instituição no início do ano letivo, ficou definido que a média considerável para aprovação do educando é 6,0 pontos por unidade, sendo que os processos avaliativos de caráter qualitativo têm valor de 40% enquanto que, o de caráter quantitativo assume valor 60%, isto é, durante o ano letivo, o docente atribuirá em cada unidade o valor máximo de 4,0 pontos para nota qualitativa e 6,0 pontos para nota quantitativa. Lembrando que os aspectos qualitativos serão aferidos mediante análises das habilidades e competências de cada discente, esperando-se que o mesmo apresente:

 

·           Freqüência escolar considerável (igual ou superior a 75%) durante o período letivo;

·           Participação das aulas e atividades escolar ou extra-escoltar;

·           Respeito com os professores, diretor e demais funcionários da escola;

·           Respeito aos colegas de classe e de outras turmas;

·           Uso freqüente do fardamento escolar;

·           Conservação e uso constante dos livros didáticos;

·           E outras habilidades e competências combinadas entre os alunos e professores.

Já as avaliações de valor quantitativo podem ser desenvolvidas através de:

                                                                                                                                    

                                                                                                                                         9

·           Avaliações escritas – “testes” ou “provas”;

·           Seminários

·           Apresentação de peças teatrais;

·           Trabalhos de pesquisas bibliográficas ou virtuais;

·           Avaliações orais – debates sobre temas transversais e/ou outros temas pertinentes aos conteúdos propostos;

·           Entre outras atividades selecionadas convenientemente pelo(s) docente(s) em reuniões e/ou discentes em combinados.

                                                                                                                                         

JUSTIFICATIVA

 

O estágio é um processo importantíssimo e indispensável para o professor pois ele dá a oportunidade de assimilar a teoria e a prática, com o estágio o profissional vai conhecer a escola, o alunos, os funcionários, o dia a dia de uma escola e terá a oportunidade de colocar em prática o que aprendeu, vai também estar preparado para a profissão pois quando aprendemos queremos mostrar e o estágio é justamente onde está a oportunidade. Eu por exemplo não quero mais ensinar o fundamental quero o ensino médio mas sei que é porque aprendi, eu estudei fiz as atividades propostas, aprendi os assuntos quero praticá-los, sabemos que o aprendizado é mais eficaz quando há a experiência, os alunos da universidade que já são professores hoje, já estagiaram no magistério e por já terem experiência, vejo que são diferentes dos alunos universitários que não fizeram magistério e que nunca tiveram esse contato com a sala, com os alunos, o estágio pra eles é imprescindível, e como a própria instituição aje, sem dispensa de horas como é feito com quem já estagiou, já é professor, é diferente.

                                               

“É um instrumento direcional de todo o processo educacional,

pois estabelece e determina as grandes urgências, indica as

prioridades básicas, ordena e determina todos os recursos

e meios necessários para a consecução de grandes finalidades,

metas e objetivos da educação.” (MENEGOLLA &

SANT’ANNA, 2001, p.40)

 

            De acordo com a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB 9394/96), em seu Art. 22: “A educação básica tem por finalidade desenvolver ao educando, assegura-lhe a formação comum indispensável para o exercício da cidadania e fornecer-lhe meios                     

                                                                                                                                               10

para progredir no trabalho e em estudos posteriores”. Nas propostas apresentadas nos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN) para o ensino da Matemática, é enfatizado que a disciplina deve contribuir para que o educando seja capaz de compreender o mundo que o cerca, atuando nele de forma ativa e cooperativamente. Nesta perspectiva, Dante (2007) destaca que a Matemática é uma das ferramentas mais importantes da sociedade contemporânea, pois de acordo com o autor, apropriar-se dos conhecimentos matemáticos, tais como, saber: operar com números e compará-los, resolver problemas, elaborar estratégias, aferir resultados, questionar e argumentar logicamente, conhecer forma geométrica, etc., significa adquirir subsídios, que certamente, contribuirão para formação como indivíduo, fazendo com que ele seja capaz de se engajar no mundo do trabalho, nas relações sociais, culturais e políticas.

           Não existe um modelo único de planejamento e o professor tem condições de fazê-lo e utilizá-lo adequadamente se conseguir entender que é de grande importância e não apenas burocracia.

Eu entendi que existem vários modelos de planejamento e posso escolher o que norteia melhor o meu caminho é o plano de aula que me dá a dimensão e o sucesso da minha aula.

            Pensando assim, procurei desenvolver o meu plano de curso numa perspectiva que visa proporcionar ao educando a possibilidade de sua participação nas atividades escolares, onde ele seja capaz de investigar, questionar, analisar, verifica resultados e argumentar logicamente, dando-lhe a oportunidade da contextualização dos conteúdos de Matemática de acordo com as suas experiências cotidianas e ao mesmo tempo, a outras distantes de sua realidade.

 

ORGANIZAÇÃO DAS ATIVIDADES DE REGENCIA DE SALA DE AULA

 

            Os conteúdos aqui selecionados são apenas um referencial comum entre as várias turmas de uma mesma série existentes em nossa instituição. Por isso, é importante ressaltar que estou considerando as propostas apresentadas pelo MEC e pelo regente da turma onde irei estagiar ao mesmo tempo procurando adequá-las de acordo a com a realidade da escola. Isto significa que buscarei, enquanto professora e coordenação, desenvolver um plano de curso considerando as peculiaridades de cada turma. Sendo assim, segue o plano de curso por unidade, previsto para 7º ano deste ano letivo, o qual enfatiza: conteúdos, objetivos específicos e recursos a serem utilizados na sala de aula.

                                                                                                                                                11                                                                                                                                         SÉRIES: 7º ano E                                              UNIDADE: I

CONTEÚDOS

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

RECURSOS DIDÁTICOS

 

Revisão do conjunto dos números naturais

 

O conjunto dos números inteiros

Módulo de um número inteiro

Comparação de números inteiros

Adição e subtração de números inteiros

Multiplicação e divisão de números inteiros

 

Divisão de números inteiros

 

Mostrar a importância da Matemática em nossas vidas;

 

Explicar o porquê dos conjuntos numéricos;

Ampliar os conceitos de números naturais;

Mostra a necessidade de outro conjunto para expressar situações de nosso cotidiano;

Apresentar situações que requer números positivos e/ou negativos.

Identificar o conjunto dos números inteiros (Z) e sua forma de representação

Mostrar as operações no conjunto Z.

 

 

Livro didático, quadro branco, piloto, cartolina, papel metro, folha de ofício, revistas, jornais, internet, vídeo, projetor de slide, entre outros.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

SEMANA

CONTEÚDO

OBJETIVOS

ATIVIDADES A SEREM DESENVOLVIDAS

 

20/03/2012 a 22/03/2012

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Apresentação da turma, dinâmica de apresentação;

Apresentação das atividades avaliativas e conteúdo programático do estágio nesta I Unidade;

Brincadeiras;

Presentes;

Texto matemático, aprendendo matemática;

Piadas em códigos;

conjunto dos números inteiros;

história dos números inteiros.

Exercícios em classe

 

 

ü  Promover um momento de socialização e interação entre alunos-alunos e alunos-professor;

ü  Exercitar o entendimento de textos, especialmente de caráter matemático;

ü  Conhecer os conteúdos programáticos para a I Unidade e o calendário de atividades avaliativas.

ü  Despertar o pensar rápido, o raciocínio lógico como diagnose estimulando-os a interagir;

ü  Descobrir a utilização dos inteiros no seu cotidiano, bem como a sua história;

ü  Verificar se alcançaram os objetivos através de exercícios;

 

As atividades serão desenvolvidas de forma individual e coletiva e a interação será com professor-aluno.

Haverá um momento de apresentação onde lhes darei um presente confeccionado por mim, no segundo momento haverá uma

dinâmica com o uso de bexigas ao som de uma música, num terceiro momento, decifrarão piadas em códigos.

diálogo, mostrando-lhes a receita, a dívida, a reta, apresentação de situações pessoais onde são usados os inteiros (compra e venda de algo), resolução de atividades em classe e para casa;

Apresentação de uma situação problema para a discussão.

 

 

SEMANA

CONTEÚDO

OBJETIVOS

ATIVIDADES A SEREM DESENVOLVIDAS

 

26/04/2012 a 29/04/2012

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Correção de exercícios de conjunto de inteiros aplicados na aula anterior;

Aplicação de atividades em classe (pesquisa com inteiros);

Celebrai a Cristo Celebrai;Música

Coordenadas cartesianas;

ü  Verificar se alcançaram o objetivo através de atividades em casa e em classe, envolvendo pesquisas em revistas de situações que envolvam inteiros;

ü  Perceber distâncias entre pontos e sua origem;

ü  Conhecer a música que será apresentada na culminância;

ü  Identificar dificuldades em coordenadas cartesianas;

ü  Entender que módulo de zero é sempre positivo.

Praticar atividades em classe;

Pesquisar em jornais e revistas, plantas ou gráficos em que apareça inteiros e realização de exercícios no quadro, tirando dúvidas e ajudando-os nas respostas e mostrando-lhes as várias maneiras de chegar aos resultados avaliando-os.

Aula expositiva e explicativa de módulo e do valor absoluto no quadro, tirando dúvidas e ajudando-os a responder as atividades corretamente;

Ouvir a música e acompanhar a letra para apresentação na culminância.

Aula expositiva de módulo ou valor absoluto, explicação no quadro tirando dúvidas e ajudando-os a responder as atividades corretamente.

 

 

SEMANA

CONTEÚDO

OBJETIVOS

ATIVIDADES A SEREM DESENVOLVIDAS

02/04/2012 a 05/04/2012

Correção de exercícios;

Ensaio do louvor Celebrai a Cristo Celebrai;

Culminância vida e obra de Jesus Cristo apresentação de um coral musical;

Adição e subtração de inteiros;

Resolução de exercícios;

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ü  Sanar dificuldades encontradas em módulo ou valor absoluto de inteiros através de exercícios;

ü  Representar através de louvor, teatro e adoração a morte e a ressurreição de Jesus Cristo;

ü  Despertar o interesse mútuo pela dicção oral e auditiva assim como expressão;

ü  Efetuar a adição e a subtração de dois ou mais inteiros;

Resolver exercícios envolvendo soma e subtração de inteiros em problemas;

Tirar dúvidas que haja através da explicação na correção das atividades, mostrando-lhes as várias maneiras de chegarmos a um resultado e levá-los para o ensaio geral do louvor Celebrai a Cristo celebrai para apresentação do coral;

Ensaios em grupo;

Propostas de situação problema envolvendo adição e subtração de números inteiros;

Discussão sobre os problemas com apresentação de hipóteses de resolução;

Resolução e aplicação de exercícios;

 

 

SEMANA

CONTEÚDO

OBJETIVOS

ATIVIDADES A SEREM DESENVOLVIDAS

 

09/04/2012 à 12/03/2012

 

 

 

 

 

 

 

multiplicação e divisão de números inteiros.

Problemas envolvendo multiplicação e divisão de inteiros;

Problemas envolvendo todo o conjunto de inteiros;

Exercícios variados de reforço aplicados em sala, envolvendo soma e subtração de inteiros;

Oficina proposta;

Avaliação

 

ü  Compreender através de exercícios variados aplicados em sala, o encontro de soma e subtração de inteiros em problemas;

ü  Entender as regras práticas da multiplicação e divisão de inteiros;

ü  Resolver problemas que envolvem multiplicação e divisão de números inteiros, com a busca de seus resultados lógicos e correção;

ü  Resolver problemas que envolvam adição, subtração, multiplicação e divisão de inteiros;

ü  Demonstrar conhecimentos adquiridos na competição;

ü  Demonstrar o aprendizado através de uma avaliação escrita;

 

Resolver os exercícios e reforçar as regras aplicadas nestes exercícios;

Apresentação de situações problema que envolve a multiplicação e divisão de números inteiros com suas respectivas resoluções.

Explicação da regra prática para multiplicação e divisão com suas respectivas resoluções.

Apresentação de exercícios que envolvem as quatro operações em Z;

Correção dos exercícios pra a aplicação da avaliação;

Apresentação do jogo caça ao queijo e tabela de multiplicação de inteiros,

Explicação dos objetivos da oficina e instrução das regras do jogo com formação de duplas, esclarecimento de dúvidas e desenvolvimento de atividades de premiação de equipes;

esclarecimento de dúvidas,

Arrumação das cadeiras em fila, aplicação de uma avaliação escrita, individual e sem consulta, resolução das provas, recolhimento;

 

 

SEMANA

CONTEÚDO

OBJETIVOS

ATIVIDADES A SEREM DESENVOLVIDAS

 

16/04/2012

 

 

 

Números inteiros, operações fundamentais em Z;

 

Discutir as avaliações;

 

Entrega das avaliações;

correção em quadro com aula expositiva.

 

 

 

 

REGENCIA

 

A princípio quis ser minha regente, mas ao preparar o meu estágio, a dinâmica para me apresentar como estagiária e para mostrar-lhes a importância de cada aluno para o meu trabalho de regência, as histórias de como cada conteúdo foi descoberto e trabalhado, os jogos que pretendia fazer mesmo em tão pouco tempo de regência, a festa de encerramento entre outras necessidades que surgiriam, entendi que seria maravilhoso fazer em outra sala além da minha, porque já faço todo esse trabalho em minha sala de aula com as minhas turmas.

Estagiei na Escola Municipal de 1º. Grau   Educandário Senhora Santana na cidade de Cansanção/BA,  já trabalhei na zona rural na escola Menino Deus no povoado de Sitio das Flores distante 12 Km desta cidade e em mais uma escola que se chama Centro Educacional Osmilton Batista de Souza, pois, como já relatei tem 15 anos que leciono  e não considerei necessário ir para outra escola já que terei a oportunidade de conhecer outra instituição escolar de 2º. Grau.

Antes de iniciar o trabalho de regência, encontrei-me com a sra Luana Andrade Ferreira professora regente no 7º ano  E e apresentei-lhe a carta que a Universidade nos disponibilizou pedindo que me recebesse em sua sala a qual ela aceitou sem hesitar e declarando que seria um pouco mais de experiência para ela por ter pouco tempo de prática em sala de aula, assim iniciei meu trabalho.

Ela é universitária, licenciada em matemática há 04 anos pela FTC, segue os planos de aula

                                                                                                                                                17

 

para organizar suas aulas, as aulas são registradas na caderneta fornecida pela escola. Os                                                                                                  

alunos são avaliados diariamente não deixando passar nenhuma informação, pois tem seus nomes anotados e os blocos de anotações sempre perto; quando conversávamos declarou que ama quando consegue atrair a atenção de seus alunos, quando eles participam, perguntando, respondendo, etc. Comentou também da sua tristeza quando não consegue o entusiasmo deles e as voltas que tem que dar para mudar este quadro.

Devemos levar para o aluno o melhor da Universidade, pois temos praticado em seminários, jogos e pesquisas, é considerado que temos capacitação. Aprendi nestes últimos semestres que devo contar a história da matemática, dos matemáticos e suas maravilhosas descobertas, antes de estudar história da matemática, sempre passei longe das leituras que o livro me disponibilizava, sempre vi as historinhas como perda de tempo em aplicar o conteúdo, hoje é diferente e o resultado é maravilhoso eles realmente gostam e visitam os sites que sugiro; quando falei que os números inteiros não foram aceitos desde o principio e quando falei que os números não eram como são, hoje eles lembraram das historias do 6º ano comentaram que sou diferente, hoje busco dentro do conteúdo que estou aplicando ou em algum exercício o momento de contar a história.

Entrei na sala dia 20/03/2012 no 7º ano E do turno vespertino, comecei me apresentando como aluna da UNEB apresentando a necessidade de estar ali com eles e de realizar o estágio. A minha turma o G6 tem camiseta da escola e fui com ela mostrei o brasão da escola. Fui bem recebida e a acolhida foi total. Iniciei uma dinâmica de apresentação que foi uma brincadeira de bexiga para falar-lhes do quanto eu precisava deles com uma alegre música, jogávamos para cima as bexigas e todos pegavam antes delas caírem, mas eu ia tocando alguns deles e eles iam saindo do grupo o que deixava o espaço e a necessidade de ajuda. Também lhes dando um presente (pirulito colado a um coração com uma frase em que os declarei como importantes para mim e para minha formação, confeccionado por mim eminha filha Brenda). Depois da apresentação falei sobre a importância do estágio para o meu curso e que eles seriam peças fundamentais na minha formação. Falei porque é importante a convivência entre eles como aprendem um como outro e que não era só a professora ou a estagiária que ensinavam falei da importância da convivência com outros indivíduos, por não ser possível aprender sobre o mundo se não tivermos o outro, ou seja, é necessário que alguém atribua significado sobre as coisas à nossa volta, tudo na dinâmica.

No dia que comecei a estagiar 20/03/2012 às 18:00 horas houve um encontro pedagógico e não só participei como professora da unidade escolar, mas também como estagiária anotando tudo para relatar-lhes. Os coordenadores nos reuniram para proporem as atividades do 1º. Bimestre e depois de exposto o projeto, os professores gostaram e concordaram com o que foi proposto que era ler as parábolas de Jesus durante as aulas

                                                                                                                                                18

assistirmos a um filme que retrata a paixão de cristo com todos os alunos e professores que seria exibido antes da páscoa dia 30/03/2010 eu, não pude e comparecer como estagiária mais como professora da escola, pois não era dia de aula de estágio, mas no dia 03/04/2012 numa terça-feira houve apresentação de coral dos alunos de 6º e 7º ano, eu os ensaiei duas vezes e houve apresentação de coreografia dos alunos de 8º ano, assim como apresentação de peça teatral pelos alunos do 9º ano, tudo retratando a vida e a obra de Cristo, eu como canto na igreja que congrego fui convidada para cantar um louvor. Aceitei e gostei muito da experiência, os alunos gritavam de alegria e já fui convidada para cantar no dia das mães. A culminância foi linda visto que também apresentamos as parábolas de Cristo aos alunos para trabalhar a vida e as obras Dele, a intenção é trabalhar valores através desta bela vida. A do Rei dos Reis e Senhor dos Senhores, a apresentação foi feita na igreja católica por comportar todos os alunos e por termos acesso ao som da igreja, no primeiro momento uma irmã ensinou sobre a semana santa e a páscoa, o diretor falou sobre aquele encontro e agradeceu a presença dos professores e alunos e fui convidada para fazer o louvor, depois que cantei os alunos começaram as apresentações e os 6ºs e 7ºs anos cantaram um louvor em adoração a Jesus em um grande coral, depois disso os alunos do 8º ano apresentaram um coreografia e os alunos do 9º ano uma peça teatral como proposto pelos coordenadores, as aulas foram muito proveitosas e os alunos me pediam que trocasse de lugar com a Luana, ela ria e não se importava para minha sorte, a regente esteve presente em todas as aulas gostou da maneira como eu ensinava, como quando lhes expliquei como acontecia o oposto ou simétrico, como sair da origem que o zero é a origem, e voltar para a origem, desenhava a reta e pedia que eles também desenhassem todas as retas propostas nos exercícios, como gosto muito de dar aulas não tive problemas em sala, nenhum conflito, as turmas da tarde no Educandário são poucas e assim poucos alunos sem bagunça, o único acontecimento diferente foi o pedido da leitura de um decreto que o próprio diretor nos levou declarando que o uso de aparelhos sonoros bem como celulares estava restrito em sala de aula, guardei para anexar assinado e carimbado. O comportamento dos alunos foi o esperado por mim, pois tenho uma grande família com muitos sobrinhos da idade dos alunos, já tenho didática para tratá-los sei tudo que querem e que sentem consegui a atenção e as participações de todos, havia interesse em aprender e vi através dos exercícios e da avaliação que alcancei todos os objetivos que tracei. Não vi nenhuma forma de bullying nada que pudesse ser levado à diretoria, apenas um pouco de trabalho na vestimenta das alunas até expus as várias reportagens sobre violência sexual por parte de familiares e por parte de vizinhos expliquei que podia vir de qualquer lugar até mesmo na escola e pude mostrar a elas que a roupa, a maneira de vestir pode trazer riscos,                                                                                                                                                          19

 

por menores  que sejam elas compreenderam e aderiram ao uniforme que era bermuda composta ou calça comprida e camiseta padrão.

Li tudo que pude com os alunos, os professores de português em reuniões sempre reclamaram da falta de ajuda nas leituras, hoje reconheço que a leitura desempenha um papel estruturante, muitas vezes decisivo nas atividades de aprendizagem vi essa importância no planejamento. Na prática, a produção escrita por parte dos alunos tende a ser muito limitada, reduzindo-se muitas vezes a realização de cálculos necessários a resolução de exercícios e problemas. No entanto, hoje se reconhece que o papel da escrita é importante no ensino da matemática, assim começa a pedir-se cada vez mais aos alunos para redigirem relatórios ou ensaios explicando e justificando os seus raciocínios.

Segundo Phillips e Crespo, várias estratégias tem sido propostas para encorajar estudantes a ler, escrever e conversar sobre idéias relacionadas à matemática. Foi solicitado pela coordenação do estagio a escrita da oficina que desenvolvemos e eles gostaram de escrever de relatar a disputa um dos alunos, conseguiu algo que nem eu tinha conseguido quatro caminhos para o rato encontrar o queijo em poucos minutos a tabela não apresentou nenhum trabalho só mostrei antes o padrão e ficou fácil, pois já sabiam multiplicar inteiros amei a oficina foi lindo ver como são sábios nós os subestimamos mais são muito inteligentes, tive apenas três alunas que não conseguiram, mas as colegas as ajudaram, o jogo é super aceito pelos alunos eles gostaram dos jogos são elétricos e gostam da adrenalina e agitação que o jogo trás eu já iniciei com algazarra e prometendo brindes, fizemos uma festa eles amaram as dinâmicas, os jogos da oficina e a musica do coral nós os pegávamos cantando toda hora não tivemos nenhuma reclamação das aulas aplicadas e muitos elogios, busquei abraçá-los, dar atenção, ter relacionamento com eles fizemos muitos exercícios em sala o livro didático oferece principalmente nos inteiros muitas atividades aproveitei para revisar as somas, subtrações, as multiplicações e as divisões dei nota por todas as atividades,as notas somaram 4,0  de participação e atividades e 3,0 pontos de avaliação deixei 3,0 pontos para a professora Luana aplicar potencias de inteiros e fazer a última avaliação aplicando a última nota e anexarei cada nota de cada aluno numa tabela, antes da avaliação fiz um exercício mimeografado sem consulta para ver onde estavam precisando de ajuda corrigi no quadro e pudemos fazer a avaliação. No dia da avaliação os acalmei e enquanto arrumava as cadeiras brinquei para descontrair a turma eles nunca haviam feito prova comigo e estavam com medo, mas correu tudo bem e os alunos tiveram notas boas, fizemos uma festinha no encerramento e eles agradeciam em todos os momentos, eles é que queriam me agradar não permiti, mas as meninas queriam trazer coxinhas ajudar com dinheiro, qualquer coisa que me ajudasse, dei a Luana de presente em                                            20

agradecimento pela oportunidade uma Bíblia Sagrada e todos os alunos queriam também levei meus filhos na festa não tenho reclamação, olhava toda hora que me chamavam,não me cansei em agradá-los foi muito bom.

O requisito da carga horária para este estágio é de 100 horas, sendo distribuídas 60 horas para atividades do meu relatório e 40 horas de regência em sala. Os meus alunos eram 22, as suas idades variam de 11 a 14 anos, sempre brinco quando ensino em salas de 7º E 8º ano que antes de eles nascerem  eu já era professora, eles me olham de forma diferente quando sabem que já tenho 15 anos de trabalho, assim, tenho segurança e gostaria que o estágio tivesse realmente sido supervisionado vocês iam amar como mesmo no interior conseguimos ir tão longe, ir tão bem.

No estágio utilizei o livro oferecido pela PNLD Tudo é matemática, Dante 6ª. Série, editora Àtica também fiz pesquisa no livro de Imenis e Lelis, os quais estão nas referencias.

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS

 

Com base nas experiências vividas durante o estágio relato os aspectos vividos no mesmo, apresentando uma síntese das atividades desenvolvidas que foram importantes para o aprimoramento dos conhecimentos adquiridos durante os três anos que estudo.

Através dessas atividades de estágio supervisionadas e orientação da prática de ensino pude adquirir muitos conhecimentos que vão além de 15 anos em sala carregarei por toda minha vida profissional e pessoal foi muito importante para eu organizar os conteúdos como estagiária e com uma ex aluna me orientando vi que muitas dificuldades por parte dos alunos poderiam ser evitadas com um acompanhamento maior do professor.

Gostei da assiduidade dos alunos não houve faltas nem mesmo por doenças os alunos gostavam das minhas aulas, pesquisei métodos e técnicas para facilitar o aprendizado e para dinamizar as aulas houve interação, também integração, dava-lhes exemplo pessoais e vividos por eles na lanchonete da escola sempre fazendo cálculos e estando também a disposição para esclarecimentos de dúvidas trazendo a seus conhecimentos a beleza da matemática, mesmo quando tinha que ser rápida por causa do tempo os forçava a fazer os exercícios em casa dando nota maior por isso, para o tempo da aula ser livre para tirar dúvidas e explicar os conteúdos, e o tempo do diálogo, eles foram atenciosos e não deram trabalho com bagunças mesmo porque o estágio se deu na I unidade o que contribui com a saudade que eles estão da escola foi maravilhoso.

As únicas dificuldades encontradas por mim foram o tempo em planejar, obedecer ao

21

planejamento e realizar as atividades com um cuidado diferente do usado em meu trabalho, em meu cotidiano tive o auxílio de o estágio ser em data diferente das outras matérias que estudo assim considerei ter um tempo maior e considerei os alunos prioridade.

Qualquer carreira depende de uma base, no nosso caso, a docência, a base é o estágio supervisionado que vem a ser uma das principais etapas do curso de licenciatura.

 

 

 

REFERÊNCIAS

 

BAHIA. Secretaria da Cultura e Turismo. [online]. Disponível na Internet via http://www.censocultural.ba.gov.br. Arquivo capturado em 05 de agosto 2007.

BAHIA. Secretaria de Infra-estrutura. Departamento de Infra-Estrutura de Transportes da Bahia. [online]. Disponível na Internet via http://www.derba.ba.gov.br/db_map_senhordobonfim.htm. Arquivo capturado em 14 de agosto 2007.

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. N.º 9394. Brasília, 1996.

BRASIL. Ministério da Educação. Ministério da Educação, Secretaria de Educação Infantil e Fundamental. Guia de livros didáticos 2005: matemática. Brasília: Ministério da Educação/MEC, 2004, v.3.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Guia de livros didáticos de 5.ª a 8.ª séries. Brasília: Ministério da Educação/MEC, 2001.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Média e Tecnológica, Parâmetros Curriculares do Ensino Médio: ensino médio - Brasília: Ministério da Educação/MEC, 1999.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: matemática. 3. ed. Brasília: MEC/SEF, 2001.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental: introdução aos parâmetros curriculares nacionais. Brasília: MEC/SEF, 1998.

DANTE, Luiz Roberto. Tudo é matemática: ensino fundamental. – São Paulo: Ática, 2005. (Obra em 4 v. para alunos de 5ª a 8ª séries)

http://educador.brasilescola.com/estrategias-ensino/a-importancia-plano-aula.htm

http://educador.brasilescola.com/sugestoes-pais-professores/a-importancia-planejar-estudo.htm

22

http://cenfopmatematicasignificativa.wordpress.com/

http://www.slideshare.net/lizmendes191182/as-formas-de-planejar-do-professor

http://www.faculdadeexpoente.edu.br/upload/noticiasarquivos/1243985734.PDF

http://www.ebah.com.br/content/ABAAAApZUAF/estagio-supervisionado-i-matematica

http://www.partes.com.br/educacao/estagiosupervisionado.asp

http://www.uel.br/pos/mecem/pdf/Dissertacoes/bruno_teixeira_texto.pdf

http://robertaferreira.files.wordpress.com/2010/04/relatorio-de-estagio-c-s-barreto1.pdf

http://jamirproa.blogspot.com/2009/05/estagio-de-matematica.html

http://static.recantodasletras.com.br/arquivos/1999283.pdf

http://www.firp.edu.br/home/estagio_matematica.aspx

http://www.ebah.com.br/content/ABAAABvJUAE/relatorio-estagio-supervisionado-matematica

http://www.faculdadeexpoente.edu.br/upload/noticiasarquivos/1243985734.PDF

http://www.brasilocal.com/bahia/euclides_da_cunha/cansancao.html

http://piadasengracadas.net/categoria/matematica/

http://pt.scribd.com/doc/53189548/relatorio-de-estagio-supervisionado

http://coelhodacartola.blogspot.com/

MATEMÁTICA IMENES E LELLIS 7º ANO   EDITORA MODERNA.

TUDO É MATEMÀTICA, DANTE  8ª SÈRIE   2008/2010  EDITORA ÁTICA.

TUDO É MATEMÁTICA, DANTE 7ª SÉRIE 2008/2010 EDITORA ÁTICA.

 

 

ANEXOS

 

Celebrai a Cristo, celebrai

Ministério Koinonya de Louvor

Celebrai a Cristo, Celebrai.
Celebrai a Cristo, Celebrai.
Celebrai a Cristo, Celebrai.
Celebrai a Cristo, Celebrai.
Ressuscitou, Ressuscitou. Ele vive para sempre.
Ressuscitou, Ressuscitou. Ele vive para sempre.
E vamos celebrar

23


Vamos celebrar
Vamos celebrar
Ressuscitou o Senhor

 

 

EDUCANDÁRIO SENHORA SANTANA

Aluno –

Série -   7º ANO E                                                                          data       /       /  2012

 

                                               AVALIAÇÃO I

1)    Problemas : 

a)Juntando um lucro de 15  a um prejuízo de 23, qual o meu prejuízo final:

b)Juntando um prejuízo de 50 a um prejuízo de 30, qual o meu  prejuízo final:  

 

2)    Calcule as somas e subtrações abaixo :

a)    10 – 13 + 2 + 6 – 18 =

b)     -5 -18 + 3 -2 + 8 -12 -3  =

c)    3 + 5 + 4 – 6 + 5 = 

 

3)    Calcule os variados inteiros :

a)    (– 15) . –(-3)+(+30)-18 =

b)  60 – 40 +(- 2) - 10 =

d)    (-3)  .  2+5-6+9+2-(-8) =

e)    6 0 : (-2) =

f)     8 – 3 . (-5) . (-7) -20 – 7 =

g)    (-4) + 10 : 2-(-5)+(-20)

 

 

 

 

                                   DISSE JESUS: EU SOU O CAMINHO, A VERDADE E AVIDA.

24

 

 



Criar um Site Grátis   |   Crear una Página Web Gratis   |   Create a Free Website Denunciar  |  Publicidade  |  Sites Grátis no Comunidades.net